Troia Resort

Marina

Vimos mais uma vez e por escrito agradecer a forma fantástica como nos receberam este fim de semana nessa Marina, aliás, como sempre o fazem.
Quero deixar um forte agradecimento ao pessoal da receção e ao Marinheiro que são super simpáticos, eficientes e muito profissionais. O nosso muito obrigado

Rodrigo Gallego

Localização

Ao avistar a baliza nº 2 deve procurar navegar pelo enfiamento da barra (Zv=040), com cerca de 3 milhas de comprimento até ao Forte do Outão.

De noite a aproximação à barra, bem como todo o trajecto até guinar para o canal que leva a Tróia, deve ser feito sobre o enfiamento anterior – constituído pelos Faróis da Doca e da Azeda.

A partir da baliza 4 o canal alarga-se, ligeiramente, e deve continuar-se sobre o enfiamento.

Passa-se depois pelo través do Farol do Outão. A seguir passar pelo través da baliza nº 5 e deverá ver, a EB, o TROIA RESORT, na Ponta do Adoxe.

Depois de passar a baliza nº 5 deverá navegar ainda cerca de meia-milha pelo enfiamento. Guinar para EB, dando o necessário resguardo a terra.

Verá, a estibordo, a TROIA MARINA assinalada com duas pequenas marcações de EB e BB.

Assim que entrar na marina acoste no cais de recepção e de combustível a seu EB.

Seja bem-vindo à TROIA MARINA, perfeita para os amantes do mar.

38º 29′ 38” N – 8º 54′ 08” W

Tarifários

Legenda
MC – Multicasco
MT – Marítimo-Turística
c.f.f. – Comprimento fora a fora
* – Estadia mínima de 4 horas
Valores sujeitos a IVA à taxa legal em vigor.

Legenda
MC – Multicasco
MT – Marítimo-Turística
c.f.f. – Comprimento fora a fora
* – Estadia mínima de 4 horas
Valores sujeitos a IVA à taxa legal em vigor.

Legenda
MC – Multicasco
MT – Marítimo-Turística
c.f.f. – Comprimento fora a fora
* – Estadia mínima de 4 horas

Valores sujeitos a IVA à taxa legal em vigor.

Normas

  • Nas imediações da TROIA MARINA é possível avistar roazes
  • A presença de embarcações pode perturbar as suas rotinas – descanso, captura de presas, socialização e reprodução – pelo que contamos consigo para cumprir as seguintes regras:
  • Evite mudanças bruscas de direcção e de sentido no rumo da sua embarcação.
  • Evite fazer ruídos, na proximidade dos roazes, que os perturbem ou atraiam.
  • Não exceda a velocidade de deslocação dos roazes.
  • Esteja atento à aproximação de outros roazes.
  • Mantenha um rumo paralelo, e pela retaguarda dos roazes, de modo que estes tenham um campo livre de 180° à sua frente.
  • Posicione a sua embarcação num sector de 60º, à retaguarda dos roazes.
  • Não permaneça mais de 30 minutos na proximidade de um grupo de roazes.

Relembramos que as seguintes actividades são interditas:

  • Perseguir ou provocar a separação do grupo de roazes.
  • Tocar nos roazes.
  • Alimentar os roazes.
  • A aproximação de uma embarcação, a menos de 30 minutos, de qualquer roaz.
  • A aproximação aos roazes, cuja proximidade à costa condicione os seus movimentos relativamente à embarcação.
  • A utilização da marcha à ré, na proximidade de um grupo de roazes, salvo em situações de emergência.
  • A aproximação activa dos roazes por nadadores.
  • A utilização de jet-skis, motos de água e veículos afins na observação dos roazes.
  • A permanência, de mais de três embarcações, num raio de 100 metros ao redor dos roazes.
  • A observação dos roazes deverá ser, imediatamente interrompida, caso detecte algum dos seguintes sinais de perturbação
  • Alteração marcada da direcção e da velocidade dos roazes.
  • Natação evasiva e repetido afastamento da embarcação.
  • Prolongamento do tempo de mergulho e/ou diminuição do tempo, à superfície, após a aproximação da embarcação.
  • Batimentos repetidos da barbatana caudal na superfície da água.
  • Movimentos dos adultos para afastarem as crias ou para se interporem entre elas e a(s) embarcação(ões).

Contamos consigo

Se encontrar um animal ferido, aparentemente debilitado, ou morto, ou se presenciar algum acto que viole estas normas, deverá comunicar de imediato às autoridades marítimas

Polícia Marítima – 265 548 275

Troiamarina – 265 499 000/ 333

 

O Roaz (Tursiops truncatus)

A população de roazes do Sado é constituída por 28 indivíduos. Esta população é única em Portugal e umas das poucas populações europeias que vive em estuários.

O roaz, ou roaz-corvineiro é um golfinho fácil de identificar: tem cerca de 2 a 4 metros de comprimento, dorso cinzento e a zona do ventre um pouco mais clara, um bico pronunciado e pesa entre os 150 a 600 kg.

A sua alimentação é muito variável, sendo composta por peixes, cefalópodes (chocos, lulas e polvos) e invertebrados. Na detecção de presas utilizam o seu sistema de ecolocação para procurar alimento.

A maturidade sexual é atingida entre os 11 e 12 anos. A gestação dura 10 a 12 meses e cada fêmea tem uma cria, a cada 2 ou 3 anos. Podem viver 30 a 40 anos.

Código de Conduta Ambiental

  • Código de conduta da TROIA MARINA
  • Não lançarei lixo no alto mar, nem ao longo da costa.
  • Não verterei águas residuais no mar, em águas costeiras e áreas sensíveis.
  • Não lançarei resíduos perigosos ou nocivos para o ambiente (óleo, tinta, pilhas usadas, detergentes, etc.) no mar.
  • Colocarei os resíduos perigosos nos respectivos contentores da troiamarina.
  • Promoverei e utilizarei equipamentos de recolha selectiva de lixo (papel, embalagens, etc.) para efeito de reciclagem.
  • Usarei produtos amigos do ambiente.
  • Participarei, imediatamente, às autoridades qualquer poluição ou outra violação do regulamento ambiental.
  • Não utilizarei práticas de pesca proibidas e respeitarei os períodos em que a pesca é proibida.
  • Respeitarei plantas e animais no mar, incluindo o respeito pelas áreas de nidificação de aves.
  • Respeitarei as áreas naturais vulneráveis e protegidas.
  • Evitarei danificar o fundo do mar, particularmente, durante a manobra de fundear.
  • Evitarei perturbar a faina e as artes de pesca.
  • Não comprarei nem usarei objectos produzidos a partir de espécies protegidas ou de achados arqueológicos subaquáticos.
  • Encorajarei outros marinheiros/navegadores a protegerem o Ambiente e a proceder de igual forma.